Liberdade de imprensa

Programa de Pós-Graduação em Linguística da Unifran promove evento sobre o tema em parceria com o Curso de Jornalismo  

Da redação

Foto acima: 7 de junho lembra censura promovida pelo Estado Novo e pela Ditadura Militar (Banco de imagens)

No próximo dia 7 de junho, o Programa de Pós-Graduação em Linguística da Unifran promove, em parceria com o Curso de Jornalismo, o evento “Liberdade de Imprensa: Re(existe)”. Oficialmente, por determinação da Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é comemorado em 3 de maio, mas, no Brasil, existe uma data extra, que foi criada especialmente para protestar contra a censura promovida pelo Estado Novo, comandado por Getúlio Vargas, e pelo regime militar, que vigorou por 21 anos (1964-1985).

A transmissão será pelo Youtube Extensão Unifran, das 19h às 21h30. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas clicando aqui.

A palestrante será Giovanna Benedetto Flores, publicitária e Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com pós-doutorado em Estudos do Jornalismo/História da Imprensa pela Universidade Fernando Pessoa, em Porto – Portugal. Também tem mestrado em Ciências da Linguagem pela Universidade Sul de Santa Catarina (Unisul). É  professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, na linha de Texto e Discurso, líder do Grupo de Pesquisa Discurso, Cultura e Mídia e membro do Grupo de Pesquisa Produção e Divulgação de Conhecimento Científico na mesma universidade.

Ranking

Segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras, o Brasil ocupava, em abril deste ano, o 111º lugar no ranking de liberdade de imprensa. Em relação ao ano passado, houve queda de quatro pontos. O país está abaixo de Etiópia, Ucrânia e Hungria, nações consideradas autoritárias, e na chamada “zona vermelha”, a penúltima entre cinco faixas: branca (muito boa), amarela (boa), laranja (problemática), vermelha (difícil) e preta (muito grave).