Perceber a vida

Recém-formada em Jornalismo, Karollyna Basques tem vídeo sobre mudanças com a pandemia em mostra da UFSCar

Da redação

Foto acima: Filha de comerciantes de sebos e livrarias, Karollyna começou a ler e escrever na infância (Acervo pessoal)

A jornalista Karollyna Basques, recém-formada pela Unifran, teve um trabalho em vídeo selecionado para o Festival CultivArte, promovido pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). A produção, intitulada “A vida”, foi inscrita na categoria “Resiliência em tempos de pandemia” e está disponível para ser vista online (clique aqui ou veja no final da matéria).

Ela explica que o objetivo foi oferecer uma reflexão sobre a necessidade de reduzir a velocidade das atividades cotidianas com a chegada do novo coronavírus. Isso possibilitou parar para observar a singularidade das coisas que nos cercam e olhar para nós mesmos, com o intuito de nos conhecermos melhor.

Segundo Karollyna, a crônica usada no vídeo foi escrita em 2016 e publicada na página dela no Facebook e, desde então, ficou praticamente esquecida. Com a pandemia, pôde reencontrá-la e dar um novo sentido a partir das vivências atuais.

Gosto pela escrita e pela arte

Karollyna conta que, desde criança, gosta muito de ler e escrever. É de uma família de comerciantes de sebos e livrarias e incentivada pelos pais a ser criativa. “Eles são minhas inspirações para lutar e viver meus sonhos.”

Com 15 anos, começou a fazer crônicas e poesias. “Era como se colocasse para fora os sentimentos que não entendia, que estavam presos dentro de mim. Com isso, passei a recitar meus trabalhos no Sarau de Poesia de Ribeirão Preto e me inspirando cada vez mais.”

A entrada na faculdade de Jornalismo foi aos 18. Com o aumento dos compromissos, de estudos e trabalho, teve que deixar a paixão pela escrita literária um pouco de lado, o que está sendo retomado aos poucos.

“Em 2020, com a pandemia e a quarentena, fomos obrigados a dar uma pausa em nossos compromissos. Em minhas reflexões e na busca do autoconhecimento, pude rever meus conceitos e relembrar da minha vida com a poesia. Percebi que, cada vez mais, com a correria, fui perdendo um pouco da essência do que eu era antes. É com imensa alegria que hoje posso dizer que me encontrei novamente.”

CultivArte

O festival visa promover espaços que permitam “a livre expressão, a da produção de vida e o olhar para si sob a perspectiva da autonomia, da participação e da inclusão social”.

As obras de todos os selecionados foram publicadas pelo coletivo InformaSUS (clique aqui), criado em março na UFSCar, por docentes, técnicos e estudantes da instituição, para discutir as transformações mundiais com a Covid-19, principalmente a rápida disseminação de fake news sobre saúde.

“Houve um diagnóstico epidemiológico, social e político sobre os possíveis impactos imediatos a médio e longo prazo. Neste diagnóstico foi consenso que havia em circulação muitas notícias falsas sobre a Covid-19 e uma dificuldade evidente de organização de informações oficiais e científicas, dificultando sua interpretação, análise crítica e acesso da população em geral”, informa o site do projeto.