Especial Assédio Sexual

Primeira parte da série produzida pelo Mulher de 15 aborda o assédio em lugares públicos, em transportes e no trabalho

Produção e edição: Ana Carolina Rodrigues, Gabriela Sturaro, Hermes Pereira Neto, Rafael Mascagni, Talita Souza, Sara Ávila e Tatiane Oliveira

Colaboração: Prof. Ricardo Fadul

Orientação: Prof. Igor Savenhago

Foto acima: Integrantes do próprio grupo que produz o Mulher de 15 relatam ter sofrido assédio sexual (Divulgação)

Segundo a Organização Internacional de Combate à Pobreza, ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), 86% das mulheres brasileiras já sofreram assédio sexual e, a cada um segundo, uma mulher é vítima desse tipo de violência no país. Segundo a professora e pesquisadora do departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da FGV-EAESP, Maria Ester de Freitas, um aspecto que precisa ser destacado nas discussões sobre o assunto é que as questões sexuais, nesse caso, não são iguais, entre pares. Ou seja, as relações não são negociadas. Há uma distinção de poder que não permite a um dos lados, no caso a mulher, que exista uma negativa sem que ocorram consequências. Em síntese, não há possibilidade de recusa sem que haja violência.

A abordagem de temas como este está de acordo com a proposta do Mulher de 15, programa em áudio que surgiu em 2018 (clique aqui para conferir o especial produzido naquele ano) no curso de Jornalismo da Unifran com o intuito de olhar para diversas questões referentes ao universo feminino, principalmente dando a voz para as mais vulneráveis. No caso do assédio sexual, uma das percepções durante a realização do especial foi que, em muitas situações, as mulheres não identificam que estão na posição de vítimas e até se culpam pelas atitudes do assediador, como se a sensação de que ser submissa seja algo normalizado. Um exemplo é da Simone, uma das personagens entrevistadas, que conta que foi assediada sexualmente diversas vezes e só soube reconhecer anos depois.

O Especial Assédio Sexual, composto por cinco programas, dos quais três são disponibilizados nessa primeira parte, tem, como primeiros temas: assédio sexual em lugares públicos, em transportes públicos e privados e em locais de trabalho. A ideia de abordar esse assunto surgiu a partir de uma conversa entre as mulheres do grupo que produz o programa. As estudantes Ana Carolina Rodrigues, Gabriela Sturaro, Talita Souza, Tatiane Figueiredo e Sara Ávila tinham uma percepção comum de que a violência sexual é  uma ameaça constante na nossa sociedade, inclusive para universitárias. Elas próprias relataram, nessa conversa, casos nos quais se envolveram.

A partir daí, decidiram não apenas produzir o especial com as cinco reportagens, como também que cada uma das mulheres do grupo relataria, uma em cada programa, as situações de assédio de que foram vítimas. Os dois últimos episódios serão divulgados em breve. Confira os três que abrem a série.

 

Programa 1 – Assédio sexual em lugares públicos

 

Programa 2 – Assédio sexual em transportes públicos e privados

 

Programa 3 – Assédio sexual em locais de trabalho