Café na cama

Instituto Federal de Muzambinho-MG aproveita a palha do café pra fazer cama de frango, que volta à produção de café

João Pedro Bernardes

Foto acima: Fezes, penas e ração ganham reforço da palha do café em Minas (Banco de imagens)

A cama de frango é um processo ainda pouco conhecido, mesmo por quem trabalha no campo, mas que apresenta benefícios visando a um meio ambiente sustentável. Trata-se de um adubo orgânico utilizado em fazendas e escolas agrotécnicas e que tem, como objetivo, ajudar na recuperação do solo, evitar a proliferação de moscas e, com isso, aumentar a produção agrícola. A mistura leva fezes, penas e ração de frango.

O Instituto Federal Campus Muzambinho-MG utiliza o processo da cama de frango na melhoria do solo para a produção de café. E com uma curiosidade: a própria palha do café é usada na composição da cama.

André Luiz Resende, de 22 anos, estudante no instituto e colaborador do projeto, explica a importância da cama de frango. Primeiro, na própria criação desses animais. “Quando utilizada de forma correta, com os materiais adequados, conforme a época do ano, idade do lote, espessura e manutenção, a cama de frango só apresenta benefícios para o frango de corte. Atua na absorção de líquidos, diminui o impacto do animal com o solo, evitando lesões nos pés e peito, além de servir como isolante térmico.”

Depois, para a cultura do café. Segundo ele, a reutilização da palha é uma forma de reduzir gastos e tem facilitado a vida dos produtores, que conseguem uma economia de 10% com fertilizantes.

Outro estudante, Otávio Martins, de 19 anos, lembra, ainda, que a cama é rica em nitrogênio e amônia, nutrientes essenciais para a planta. “Interessante lembrar, também, que todos os nutrientes contidos na ração estão presentes na cama.”

O processo realizado no Instituto Federal de Muzambinho consiste em retirar o excesso de penas para a fermentação, que é feita com o auxílio de lonas, o que melhora a qualidade do produto. O projeto, que tem dez anos de existência, conta com a participação de estudantes e professores. Uma forma de aprender e ensinar trabalhando.

“A cama é feita de materiais macios. Um exemplo é a própria palha de café, que tem capacidade de absorver bem as substâncias. Com isso, a cama pode ser até aproveitada para um segundo ciclo, desde que seja utilizada em um lote anterior saudável e que não tenha excesso de umidade”, afirma o professor e coordenador do projeto, Generci Dias Lopes, de 44 anos.

A cama é aplicada no próprio café: economia de 10% em fertilizantes (Foto: Banco de imagens)